Lionel-Mess_poucas_palavras

 

O mar não está para peixe na vida de Messi. Até mesmo o melhor jogador do mundo pode passar por dificuldades, ainda que elas estejam longe do plano comum dos mortais.
Para começar, Messi não faz gol há 300 minutos, o que pode fazer com que essa seja uma de suas piores temporadas. Além disso, ele ainda está tendo que lidar com o processo que sofre por sonegação de imposto, tendo que se apresentar à justiça para depoimentos, como aconteceu na semana passada.
Tudo indica, é verdade, que ele não tinha conhecimento das operações que seu pai e também empresário, Jorge Messi, fazia para fugir dos impostos. A estratégia consistia em ceder os direitos de imagem do jogador a empresas fantasmas radicadas em paraísos fiscais, como Belize e Uruguai. A receita obtida ia direto para essas empresas praticamente sem impostos, o que foi feito em 2007, 2008 e 2009. O montante da fraude fiscal foi de quase 4 milhões de euros. A dupla, pai e filho, já pagou 5 milhões de euros, repondo, inclusive, os juros, mas o processo continua e, por ser um crime, pode acabar não em pizza, mas em xilindró — na Espanha, quem sonega vai em cana.
Messi está preocupado com isso, claro. Apesar de ter tido como atenuante o fato de dois técnicos do fisco espanhol terem dado depoimentos, na semana passada, isentando-o de culpa — afinal, ele tinha apenas 20 anos e não acompanhava as peripécias do pai. Pelo menos, é essa a alegação.
É possível que esse fato esteja prejudicando seu desempenho em campo. Mas não só isso: desde que se sofreu uma contusão muscular na coxa direita em setembro passado, Messi não vem tendo o mesmo desempenho e há quem diga que suas contusões de início de carreira voltaram, quando passou dois anos com atuações intermitentes. Na época, o que o pôs na linha foi um intenso trabalho físico e um rigor espartano na alimentação. Com isso, ele enfileirou quatro anos de sucesso espetacular — e tudo indicava que essa trajetória ia continuar até o fim da carreira.
Messi é obsessivo no seu estilo de vida e no seu jogo. Aparentemente nada afeta o seu desempenho e sua alta produtividades. Mas talvez não seja bem isso.
As contusões prejudicaram a sua velocidade, uma de suas principais características. Vem reclamando, na intimidade, que se sente perseguido pela Fazenda e dá sinais de desconforto com a responsabilidade que tem na Seleção Argentina, cuja pressão é cada vez maior com a proximidade da Copa do Mundo. Aos 27 anos, estará no auge e essa é a sua grande oportunidade — talvez única — de igualar-se a Maradona. Recentemente, ele publicou em sua página na rede social chinesa Weibo algumas reclamações existenciais e uma frase definitiva: “não estou 100%…”. E a imprensa espanhola começa a desconfiar que as boas atuações de Neymar estão ofuscando o argentino — uma situação muito desconfortável.
A verdade é que a vida de Messi mudou muito ultimamente com todos esses eventos — além de ter se casado e se tornado papai.
O que explica, de certa forma, algumas decisões mais “domésticas” que vem tomando. Uma delas, é o projeto de sua nova casa, estilo faraônico, recentemente aprovado por ele. A casa, situado em um terreno com formato de campo de futebol, imita uma bola. Criado pelo arquiteto das celebridades, Luís de Garrido, o projeto prega soluções sustentáveis e custos insustentáveis — cogita-se que não custará menos de 10 milhões de euros. Até para ele é muito dinheiro: segundo a Forbes, ele acumulou “apenas” 41 milhões de dólares até agora, tornando-se a 39a celebridade mais rica do mundo.
Toda essa situação tem exposto, muito mais do que ele deseja, seu nome na mídia e de maneira desconfiada, para não dizer crítica. O garoto engendrado para fazer gols e jogadas espetaculares definitivamente não está em um bom momento.