eu-e-meu-cachorro620

 

Você certamente já dedicou alguns recursos da sua capacidade mental para refletir sobre o assunto: como posso melhorar minha vida? Essa pergunta vem congestionando o trânsito mental da espécie desde que ela adquiriu trânsito mental, seja lá o que for isso. Como faço parte da espécie, pelo menos  é o que me garantem meus semelhantes, vou dar a minha contribuição para a questão. São cinco dicas para viver melhor, com a garantia de que, caso você as siga, certamente usufruirá com mais qualidade os poucos anos que lhe restam.

 

Dieta Sexual

Pense bem. O que você já não fez ao longo da sua vida para satisfazer esse instinto primário? Humilhações, decepções, sofrimentos — e, claro, prejuízos financeiros monstruosos. E o que de fato você ganhou com isso? Alguns segundos de clímax, seguidos de uma reflexão existencial. Pare com isso. Lembre-se que o sexo é apenas uma astuta artimanha da natureza para garantir a continuidade da espécie.  Tire a responsabilidade biológica dos seus ombros. E vá brincar com seu cachorro.

Fuja dos bancos

A Humanidade viveu mais de 20 mil anos sem precisar dessa instituição de gosto duvidoso.  Bancos servem para quem tem mais dinheiro do que precisa ou para quem tem menos dinheiro do que precisa.  Ou você guarda ou você deve. Por que não atingir o equilíbrio financeiro ideal?  Gaste o que tiver e quando não tiver, não gaste.  E vá brincar com seu cachorro.

Dispense operadores e provedores

Não tenha internet, celular, TV a cabo e telefone.  Reflita. No fundo você não precisa de nada disso — a não ser para continuar lendo as minhas crônicas. São necessidades criadas para que sejam consumidas abundantemente. Verdade que há quem diga gostar daquelas musiquinhas de espera ou de ouvir a voz falsamente simpática do locutor que dá instruções do menu telefônico. Evite dar chiliques histéricos com a atendente que ganha 700 reais por mês. Abdique dessas ilusões tecnológicas. E vá brincar com seu cachorro.

Mantenha-se ignorante

Verdade que esse conselho já é adotado pela maioria dos brasileiros, mas não é o seu caso. Una-se a eles! Quem foi que inventou que ler, por exemplo, é edificante? Certamente algum editor de livros com visão predatória dos negócios. Ler remete à reflexão. Reflexão nos conduz a angústias. E a depressão não é, de fato, sinal de boa qualidade de vida. Observe como os ignorantes são felizes. Vivem às voltas com as miudezas da vida e elas, francamente, se resolvem sozinhas. Dê um basta nisso. Queime seus livros.  Melhor ainda, use-os para as necessidades fisiológicas do seu cachorro. E vá brincar com ele.

 

Viva na clandestinidade

O ideal mesmo é tirar um atestado de óbito em vida. O fato é que você ter um número de RG, de CPF, de INSS e de CNH não o torna um cidadão com os direitos intrínsecos dessa condição.  Cidadania é uma jogada de marketing dos governos que lhes permite dizer que, já que você tem direitos, há de cumprir direitinho com seus deveres. Como, por exemplo, pagar impostos abusivos. Ou ter seus gastos controlados no supermercado, nos postos de gasolina e no boteco da esquina. Além de tudo, você não é um número. Você é um ser amado por sua família e seu cachorro. E por falar nisso, vá brincar com ele.