namorar_no_trabalho_poucas_palavras

Um dos maiores tabus da sociedade ocidental ( provavelmente da oriental também) é a proibição de namorar uma ou um colega de trabalho. Hipocrisia pura. Os defensores dessa ideia repetem obstinadamente a frase feita: “Não se deve comer a carne onde se ganha o pão”. É bom lembrar, em primeiro lugar, que a carne é fraca e, em segundo, que quem tem fome precisa comer.

Provavelmente esse tipo de “sabedoria popular” (que não é nem sábia nem popular) deve ter sido criada por uma associação secreta de empresários e donos de multinacionais preocupados exclusivamente nos bons números de suas planilhas de excell.

Afinal, não é uma regra aceitável — e muito menos praticada. Casamentos, namoros, casinhos e casões dentro do ambiente de trabalho são mais comuns do que fora dele e, cá entre nós, quem já não passou por isso levanta o dedo.  Convenhamos: profissionais “normais” passam boa parte de suas vidas dentro do trabalho, convivendo com colegas de maneira intensa. O que se pode esperar do ser humano numa situação dessas? Mas vamos aos fatos: dez regrinhas básicas para se lidar com a questão:

1- Relacionamentos entre chefe e subordinado são os mais complicados.  Há sempre a possibilidade de haver algum interesse envolvido. O chefe usa seu poder profissional para conseguir  “benefícios extraordinários”. E o subordinado se vale dessa situação para se valorizar na empresa. Pelo menos, isso é o que todos pensam.

2- Não pense que esconder adianta. As pessoas percebem. Ou você acha que há uma cegueira coletiva no trabalho?  Isso não quer dizer que você pode dar bandeira. Evite contatos visuais e físicos. Afinal, você não está num boteco.

3- Há  uma hipócrita noção de que quem namora no trabalho perde em produtividade. Esse é o seu desafio constante: provar que apesar de você ter se “dado bem”, você também pode ser dar bem em suas funções profissionais.

4- Saiba lidar com essa situação: provavelmente você sofrerá ciúmes em dobro. O profissional e o sexual.

5- Relacionamentos no trabalho são injustos com as mulheres. Aquela que transa com vários colegas, se desvaloriza não só pessoalmente, mas também profissionalmente. O ambiente de trabalho é um reflexo da sociedade, principalmente nos seus aspectos mais negativos.

6- Já os homens que pegam todas  podem ter o passe valorizado. O conceito, hipócrita por sinal, é que os bem sucedidos com elas também devem ser na profissão.

7- Cuidado com elevadores, saídas de emergência e qualquer lugar aparentemente seguro para dar um amasso privado. As empresas têm câmaras por todos os lados. É emocionante, claro. Mas pode te render um lugar na fila dos desempregados.

8- Ah, sim, há os casados e casadas. São duas transgressões simultâneas — ou seja, cuidado duplo.

9- No ambiente do trabalho, há um limite na paquera. Além dele, transfira a aproximação para fora. O ideal é marcar encontros fora do horário.

10- Ir ao trabalho com a mesma roupa do dia anterior é a maior bandeira. Não pense que ninguém percebe. Todos ficam sabendo, principalmente as mulheres.