casal brigando_poucaspalavras

 

Tão banal e tão significativa. Assim é a escova de dente. Num dia, ela é apenas um item básico de higiene. No outro, representa uma ameaça. Tipo uma escova assassina. No caso, assassina da liberdade masculina. Já posso até imaginar a personagem Morte caminhando com uma escova na mão. Como os homens são bobinhos…

– Deixei uma escova de dente pra você em cima da pia.

Presenciei um imenso silêncio.

 – Ouviu?

 – Ãhã…

 Nossa, esperava um pouco mais de gratidão por ter pensado em sua higiene bucal, mas tudo bem. O tempo foi passando e o silêncio perdurou por mais algumas dezenas de minutos, até que comecei a ver algumas movimentações lentas de um longo colocar de roupas:

 – Acho que vou embora.

 Ouvi. Tentando entender o porquê ele queria ir:

 – Já são quatro horas da manhã, porque não fica quietinho aí?

 – Prefiro acordar na minha casa, tenho muita coisa pra fazer amanhã.

 Ele estava quase dormindo, o que teria feito ele mudar de idéia assim tão rápido? O que será? A escova assassina, claro! Realmente, os homens são de Marte e as mulheres são de Vênus…

Recapitulando:

 – Deixei uma escova de dente pra você em cima da pia.        

 Eu quis dizer: – Olha só que legal, lembra as inúmeras vezes que você foi dormir sem escovar os dentes e me beijou de manhã com um bafo que eu não mereço? Então, isso não precisa mais acontecer! Afinal, eu deixei uma escova de dente em cima da pia pra você!

Ele entendeu: – Iiiii…. A mina já está achando que eu sou o namorado dela! Daqui a pouco vai dizer que esvaziou uma gaveta do armário para eu deixar umas coisas na casa dela. E depois vai querer que eu faça o mesmo na minha. Já estou até vendo suas calcinhas penduradas no banheiro. Tenho que sair daqui o mais rápido possível.

Não!!! Eu não quero que você acampe na minha casa. E nem se eu quisesse conseguiria arrumar uma gaveta vazia no meu minúsculo armário. Eu tenho varal! Cá entre nós, a gaveta que você poderia utilizar é cheia dessas escovas descartáveis que eu dôo de tempos em tempos. Descartáveis! Que eu dôo!

Tudo bem, o mocinho indefeso se sentiu ameaçado. – Odeio esse meu lado maternal:

 – O que aconteceu?

 – Nada.

 – O que fez você mudar de idéia?

 – Nada!

 Afff, parece mulher!

 – Foi a escova de dente, não foi?

 – Quê?!

 – Estava tudo bem até eu dizer que tinha uma escova de dente pra você em cima da pia. Não sei o que se passa nessa sua cabecinha, mas relaxa, é só uma escova de dente. Você não usa na sua casa? Você pode usar quando estiver aqui também. Agora, se você não quiser, eu tiro ela de cima da pia e coloco de volta na gaveta. Na minha gaveta. Minha, não sua. 

 – Quê?!

 Quarenta segundo depois, incrédula:

 – Pronto, não tem mais escova de dente em cima da pia. Agora você pode dormir tranqüilo e acordar com seu bafo matinal de praxe. Mas nem vem todo querendo de manhã que não vai ter.

 – Ah, entendi… Se você queria que eu escovasse os dentes, era só ter pedido!

 Achei que já bastava uma mulher chata ter mandado na vida dele. A mãe…

 – Posso colocar a escova de dente de volta em cima da pia?

 – Sim. Já vou!

 Depois dizem que as mulheres usam o sexo para punir os homens. Punir?!

 Sue Braga é jornalista e escritora de contos e crônicas. Seu ensaio “Loucuras Breves” pode ser visto na page https://www.facebook.com/loucurasbreves