dia dos homens

Você, mulher, está procurando um homem? Então escolha um desses tipos que existem por aí.

Há homens que, buscando ser homem mesmo, optam por ter um comportamento “meio” feminino, beirando a homossexualidade.  Usam cremes para o rosto, hidratantes para o corpo, passam horas no espelho cuidando da barba e do penteado, adoram um shopping onde passam momentos de laser comprando roupas de grife e seguem um modelito padrão — ao mesmo tempo em que excluem  e criticam  aqueles que não seguem.

Há homens das antigas, aqueles para quem mulher é objeto sexual e reprodutora de seus genes. Esses, é verdade, estão decadentes e condenados às sombras do politicamente incorreto, mas  ainda vicejam por aí aos montes, adotando amantes, hostilizando gays e, diante da evolução feminina, alimentando uma misoginia crescente.

Há homens bacanas. Apóiam a independência da mulher, condenam as manifestações de machismo, desfilam na marcha das vadias, não se atrevem a dar uma cantada mais ousada e seguem um roteiro contemporâneo que elege um novo comportamento feminino. Mas são infelizes: não conseguem harmonizar a ideologia com a vida prática e não é surpresa que andem pegando a faxineira gostosa.

Há homens que abdicaram. Não conseguem mesmo lidar com o novo comportamento feminino, com os jogos de amor cruéis, com as relações voláteis e casuais, com o discurso da liberdade sexual feminina e por aí vai. Optam se relacionar unicamente com garotas de programa. Preço justo por serviço justo, sem complicações.

Há homens magoados. Foram traídos, humilhados, desonrados. Dizem da boca pra fora que ainda têm esperanças de conhecer uma mulher ideal com a qual estabeleçam um relacionamento romântico e produtivo. Mas na verdade estão cheios de ódio, esperando oportunidades para se vingar do gênero como um todo.

Há homens práticos. Só querem sexo mesmo e são capazes de fazer qualquer coisa para obter seu intento. Inclusive prometer paixões, planos, alianças e viagens. E depois de transar o quanto desejam, partem para outra, que é isso o que vale a pena na vida.

Há homens bonzinhos. Acham uma mulher, namoram, casam, estão dispostos a ter quantos filhos ela desejar, não traem, tratam sua companheiro como princesas, provendo tudo que desejam e mais um pouco. E, cedo ou tarde, descobrem que suas boas intenções produziram monotonia, falta de desafios e um cansaço matrimonial. E a mulher se lhe escapa sem que ele preveja.

Enfim, nessa vitrine da sociedade afetiva (em que afeto é o que menos rola) há opções para todos os gostos. Basta você pegar um, por no carrinho de compras, efetuar o login e levar pra casa. Nem precisa de cartão de crédito.

Feliz dia dos homens!