homem_plano_B_poucas_palavras

A dinâmica das paqueras e encontros — nesta vã tentativa de ter uma companheira por alguns minutos ou décadas, não importa — está cada vez mais complexa. O que poderia ser uma atividade simples, motivada unicamente pelo desejo, adquire vários planos e matizes que provocam angústias, ansiedade e, claro, decepções.

Pensando na lógica universal e biológica, os encontros “românticos-sexuais” entre homens e mulheres deveriam ser movidos pela mais pura simplicidade: quer ou não quer? sim ou não? É zero ou um.

Mas não. O mercado está cheio de opções, pegando fogo. Se os homens continuam com sua objetividade arcaica, as mulheres estão livres para praticar plenamente a subjetividade contemporânea.

Então vamos aos fatos: você está indo bem com aquela nova paquera. Conheceu, rolou identidade, atração mútua, a primeira impressão,de ambos os lados, é muito favorável. Diante disso, você faz o óbvio: convida ela para sair no sábado à noite. Qual seria a resposta mais provável? Sim ou não, certo? Mas daí entram as nuances. Ela responde: “Claro, vamos sim. Posso te confirmar na sexta-feira?” Vai me dizer que nunca recebeu esse tipo de resposta?

Aparentemente é uma resposta razoável. Mas, na verdade, não. Analise em detalhes. No fundo, ela está querendo dizer que ainda não sabe se vai estar disponível. Claro, ela pode ter compromissos familiares ou profissionais no sábado. Pode? Quem trabalha no sábado à noite? E quem trocaria um encontro promissor por algum compromisso familiar que já não esteja agendado há muito tempo? Sim, há sempre outros compromissos sociais inadiáveis. Mas só na véspera ela vai ter certeza disso?

Além de tudo, se você realmente despertou um interesse nela, deveria ter prioridade. Até porque você certamente vai desmarcar qualquer compromisso possível para sair com ela — é ou não é?

A verdade é que, diante de uma resposta dessa, você provavelmente se tornou uma alternativa, o plano B. Ou seja, se não rolar nada melhor, você terá chances. Até sexta-feira, pode surgir a possibilidade de um programa melhor do que sair com você — mais especificamente, um cara mais interessante que você.

Ciente disso, reconheça: se ela te der mesmo uma resposta na sexta-feira, é lucro — há aquelas que te deixam na reserva até o último minuto. Vão enrolando, enrolando, até que meia hora antes do encontro te abandonam ao Deus dará.

Nessa situação, há duas alternativas

1- Esqueça: nunca mais volte a falar com ela, a não ser que ela tome a iniciativa

2- Plano B nela: não faça planos de encontrá-la no sábado. Só se não tiver alternativas melhores.

Defenda-se: ainda não surgiu um Procon para encontros amorosos.