Por Filipe Amado

vandâlos

 

Qual a diferença entre vândalos, torcedores e manifestantes? Pelo que vemos na mídia a diferença é muito tênue, variando de acordo com o interesse ideológico do momento. Na verdade a palavra vândalos entrou em moda há pouco tempo e fez um verdadeiro sucesso, a um tempo atrás apenas se falava “torcedores entraram em conflito no estádio” ou “manifestantes confrontaram a polícia”. Atualmente as palavras torcedores e manifestantes foram substituídas por vândalos numa clara tentativa de criminalização desse grupo de pessoas.

 Torcedores e manifestantes são grupos de pessoas parecidas, ambos estão se manifestando por uma causa, apoiando ou criticando um time de futebol, um país, uma reivindicação política ou uma razão ideológica. Mas de repente começaram a ser taxados de vândalos ou marginais e sem uma clara definição dessas palavras. Aparentemente seriam vândalos os torcedores ou manifestantes que usassem da violência para se expressar ou conseguir seus objetivos, mas o engraçado é que esses grupos de pessoas são constantemente alvos de violência por parte do Estado e organizações privadas. Quer dizer que a violência transforma certas pessoas em vândalas e outras em polícias, seguranças, etc? Não estou aqui defendendo o uso de violência por torcedores e manifestantes, sou contrário a essa tática, mas uma coisa é criticar uma pratica ou ação e outra é taxar pessoas que realizaram essa ação e estigmatiza-las através de nomes pejorativos. Fora que quando alguém é atacado se tem o direito de defesa, então se a polícia vem metendo porrada em um grupo de pessoas é compreensível que elas revidem com pedras, rojões ou o que quer que seja.

 Mas o mais absurdo dessa história é como as pessoas reproduzem essa ideia pequeno burguesa de criminalizar as pessoas de vândalas. Não só a grande mídia mas os pequenos blogs da internet agora adoram falar que precisamos separar os verdadeiros torcedores dos vândalos que por exemplo invadiram o CET do Corinthians, sem perceber que são as mesmas pessoas! Os black blocks são manifestantes não vândalos, você pode não concordar com suas práticas ou achar que invadir o CET do Corinthians não resolva nada e até seja algo inadmissível, mas daí colocar um rótulo ideológico neles é ridículo. Se for assim eu vou começar a chamar os policiais de assassinos a mando do Estado, os jornalistas de manipuladores da verdade e os deputados de usurpadores da nação. A próxima chamada do jornal poderia ser “assassinos a mando do Estado protegem manipuladores da verdade a pedido dos usurpadores da nação.”

Por que será que o manifestante alvejado por tiros da polícia a queima roupa não causou indignação, nem nenhum tipo de punição, enquanto que o jornalista da Band virou uma comoção nacional? O mais engraçado é que os grandes criminosos de terno e gravata continuam sendo chamados de senhor, doutor, excelência e por ai vai.

 

 Filipe Amado é um viajante profissional e já esteve em cinco continentes do mundo, é capoeirista e sambista, além disso ocasionalmente estuda história na USP e passa noites boemias na vila madalena. Atualmente esta editando seu livro sobre sua viagem de bicicleta pelo nordeste do Brasil.